Cachina’s Programming Blog


Governo oferece software que avalia acessibilidade de sites no País

Posted in Sem-categoria por Mayron Cachina em janeiro 30, 2009
Tags:

O Portal do Software Público Brasileiro oferece a partir desta semana o software Avaliador e Simulador para a Acessibilidade de Sítios (ASES). A carta que divulga a solução à sociedade foi assinada pelo secretário de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento e o diretor de Governo Eletrônico, João Batista Ferri de Oliveira.

O ASES permite avaliar, simular e corrigir a acessibilidade de páginas, sítios e portais, com funcionalidades para a avaliação e desenvolvimento de portais acessíveis a pessoas deficientes.

Para internautas cegos, por exemplo, a ferramenta oferece recursos como a utilização de descritores de imagens. Voltada para desenvolvedores de portais e sites públicos, a ferramenta alerta quando um portal não está acessível e oferece os procedimentos necessários para a sua correção.

O desenvolvimento desse software é resultado de uma parceria entre a SLTI e a OSCIP Acessibilidade Brasil. Para os usuários brasileiros, o programa é distribuído gratuitamente sob a licença LGPL – GNU Lesser General Public License.

UNICAMP tem mais de 25 mil teses no seu acervo digital público

Posted in Notícias por Mayron Cachina em janeiro 29, 2009
Tags:

Colaboração: Rubens Queiroz de Almeida

Fonte: Agencia FAPESP, 23/1/2009

Do total de teses defendidas na Universidade Estadual de Campinas, cerca de 85% (ou 25.220) já foram digitalizadas e integradas no Sistema de Bibliotecas da Unicamp (SBU). A previsão é que a digitalização de todo o conteúdo seja concluída neste primeiro semestre.

Segundo o diretor da Biblioteca Central Cesar Lattes, Luiz Atílio Vicentini, faltam cerca de 5 mil teses para serem inseridas, anteriores a 2005, quando passaram a ser recebidas em arquivo eletrônico pela internet. No período de férias, 600 teses foram digitalizadas, tarefa cumprida por sete bolsistas e coordenado pelas bibliotecárias Regina Vicentini e Daniele Thiago Ferreira.

O projeto de digitalização iniciou em 2001, tornando em pouco tempo a Unicamp a instituição com o maior conteúdo de acesso público na América Latina. O Instituto de Física Gleb Wataghin foi a primeira unidade a ter 100% de suas teses digitalizadas. Outras unidades que chegaram à totalidade foram o Instituto de Química, o Instituto de Biologia, a Faculdade de Educação, a Faculdade de Engenharia Agrícola e o Instituto de Geociências.

De acordo com Vicentini, depois que as teses estiverem totalmente digitalizadas, dois desafios deverão ser perseguidos. Primeiro, será promover uma revisão do software em uso. Segundo, trabalhar com a possibilidade de incluir outros documentos.

A maioria das universidades brasileiras tem algum tipo de projeto para teses digitalizadas, porém o que permitiu à Unicamp se destacar foi a dinâmica que procurou imprimiu a essa atividade, além do compromisso de ver o trabalho sendo executado.

Uma iniciativa do SBU agora será divulgar quem são as pessoas que realizam os downloads, os seus endereços eletrônicos e de onde são. Em uma próxima etapa serão mostrados gráficos sobre a utilização desse serviço e o número de downloads de todas as teses, bem como dos países que as acessaram, explicou Vicentini.

As teses digitais da Unicamp tiveram 6,5 milhões de visitas em 2008, com aumento de 85% em relação ao ano anterior. Desde 2004, foram 14,4 milhões de visitas, com 3,4 milhões de downloads.

Biblioteca Digital da Unicamp: http://libdigi.unicamp.br

Calendários de Cursos da IT

Posted in Informática,Notícias,PYTHON por Mayron Cachina em janeiro 15, 2009
Tags:

Hora do Jabá 😀
Pessoal vou começar um curso de python voltado para web, quem for de Natal/RN e queira participar sinta-se convidado, não só para o curso de python mais também para os outros.
Segue a baixo o calendário de Janeiro e Fevereiro.

Anunciada segunda edição do Django Book

Posted in Sem-categoria por Mayron Cachina em janeiro 12, 2009
Tags:

Adrian Holovaty anunciou em seu blog que está trabalhando na segunda edição do Django Book.

A primeira edição que foi escrita em parceria com Jacob Kaplan-Moss cobria a versão 0.96 do Django, e muitos exemplos não funcionam mais com a versão 1.0. A nova versão do livro será baseada no Django 1.0, e como o Django 1.0 se preocupa com a retro-compatibilidade, ele deve permanecer atualizado por mais tempo.

O livro não será apenas uma atualização do anterior: contará com a reestruturação de conteúdo e até mesmo com a edição de novos capítulos. É possível ler algumas prévias online (em inglês) em http://www.djangobook.com/en/2.0/. A versão impressa será publicada pela Apress.

Mais informações em http://www.holovaty.com/blog/archive/2009/01/09/0133