Cachina’s Programming Blog


Boas prática em Design

Posted in Video Aula por Mayron Cachina em maio 25, 2009
Tags:

Depois de muito tempo sem postar, vamos voltar….
Esse é um ótimo vídeo. Visitando o blog da Locaweb achei ele e estou compartilhando.

Acesse aqui!

Na apresentação Tiago Rosa falou sobre boas práticas de design e abordou técnicas de: Pré-design, Rough(Rascunho de idéia), Usabilidade x Estética, Conceito de CRAP, GRID (anatomia da página), Tipografia / Imagens/ Fontes e Exemplos de bons sites.

Web 2.0 – Design

Posted in Design por Franco Mathson Dantas Soares em julho 22, 2008
Tags: ,

Para dar início, vamos comentar a frase de Tim O’Reilly que fala um pouco sobre o que é web 2.0:

“Web 2.0 é a mudança para uma internet como plataforma, e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Entre outras, a regra mais importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência coletiva”

Analisando esse pequeno texto podemos dizer que com o surgimento da Web 2.0, o padrão de qualidade dos códigos melhora a cada dia, e com essa melhora surgiu a necessidade de criar uma característica nova para a edição do design das páginas. Foi aí onde começou a “tendência” de layouts no “padrão web 2.0” que são projetos onde se usam muito degrade, sombra, volume, entre outros efeitos.

Esse estilo de arte pode ser considerado futurista e arrojado, levando em conta que revolucionou o mercado da arte gráfica, onde passaram a ser usados elementos que até então eram considerados inapropriados para o projeto. Como degrades em logos. E graças a ferramentas que surgiram junto com os padrões Web 2.0, é possível fazer sites com interfaces mais agradáveis. O que era praticamente impossível com os padrões antigos.

Veja alguns logos de empresas conhecidas redesenhados no padrão Web 2.0.

Embora essa tendência seja de um visual muito elegante, não chega a ser chocante, pois já é muito comum encontrar artes executadas com o padrão citado acima. Isso leva o design muitas vezes a criar layouts sem nenhum dos “acessórios” cedidos pelo Web 2.0. Mas se formos analisar projetos reformulados com o padrão Web 2.0, veremos um trabalho muito melhor visualmente falando.

Franco Mathson